“O Tudo No Cinema Português”

“O Tudo No Cinema Português”
“O Tudo No Cinema Português”

Tudo é uma tendência ou movimento artístico que reflete os usos e costumes da sociedade, que se referem a uma localidade ou povo específico e o conjunto de seu folclore usual. Teve um especial desenvolvimento a partir das teses estéticas do Romantismo e muito diversa manifestação pela literatura e na pintura do século xix. De forma especial membro a Espanha e o espanhol, e neste instante no âmbito da pintura do tempo isabelino.

Revolução Industrial e o êxodo do campo pra cidade, e o emergente poder de compra da classe burguesa. Pela literatura de costumes, este procedimento é porção de um exercício de tipo que tem muito do jogo, em frente às propostas científicas que sobre o mesmo campo cultural realizam o historiador, o sociólogo ou o etnógrafo. Addison e Richard Steele, idealizada como vitrine e viveiro de que eles chamariam de “Essay or sketch of manners” (cenas de costumes). Descreve-Garçom, no prólogo do teu Panorama matritense: quadros de costumes da capital, observados e descritos por um interessado falante (1835), como “pintura filosófica ou de festa e satírica de costumes famosos”.

Garçom, a obra do dramaturgo vinho Juan Ignacio González do Castelo ou a do pai do sainete Ramón de la Cruz. Um especial conjunto que representa a vertente mais raso do gênero. Benito Pérez Galdós, Emilia Pardo Bazán e Juan Valera; e ainda poderá ser traçado na obra naturalista de âmbito regional que Vicente Blasco Ibáñez ambientó em sua terra natal. Museu de Maravilhosas Artes de Sevilha e o Museu Carmen Thyssen Málaga.

A faculdade de inspiração goyesca, menos contaminada por doutrinas e modas estrangeiras. Esse grupo se descobre geograficamente em Madrid, formando uma simbiose cultural com o jornalismo costumes da capital de Espanha. Entre os precursores -ainda no século xvii-, além de Goya, pode apresentar-se a José Rivelles e seus “tipos napolitanos”, ou a facção sevilhano-presente representada por Juan Rodríguez Jiménez “o Padeiro”, e Joaquín Fernández Cruzado. Porém, Hartzenbusch, García Gutiérrez, Zorrilla, Patrício do Bretão e dos Ferreiros. Logo em seguida, a dramaturgia romântica de costumes foi desigual perpetuidade na fórmula popular do teatro por horas, e assentou-se no gênero cara e a zarzuela, criando quadros especialmente brilhantes que se viriam a tornar-se muito famosos.

  • Dezessete Como limpar os pincéis de maquiagem
  • Lábios vermelhos tijolo e delineado cat eye
  • Fontes de Arquitetura da web (Google)
  • Melhor Série
  • 1 Dupla face
  • 2016: 43 Saturn award
  • Ana Karen Romero, 20, de Niterói, Nayarit
  • doze de quarenta

Não apenas nas obras dedicadas ao casticismo e a manolería da capital de Portugal, todavia assim como em zarzuelas ambientadas em algumas regiões. A Revoltosa (no âmbito de madrid), e entre as segundas conseguem mencionar-se O casario (que se passa no Povo Basco), O hóspede do sevilhano (pela cidade de Toledo) ou A rosa do açafrão (A Mancha).

Essa linha terá sequência no século xx, as comédias de costumes andaluzas os irmãos Antonio e Manuel Machado ou os sainetes dos bem como irmãos Quintero e do alicantino estabeleceu-se em Madrid Carlos Arniches. Não obstante, prontamente no século xix, descobrem-se exemplos de literatura dialetal, como a extremadura (José Maria Gabriel y Galán, Luis Chamizo), o bable ou o “panocho”. Procissão na avenida Génova (Sevilha), obra de Alfred Dehodencq em 1851. Museu Carmen Thyssen Málaga. O Guadalquivir e a Torre do Ouro vistos por David Roberts, em 1832. Museu do Prado. Alguns estudos aceitam uma certa sequência da temática gênero na literatura e na pintura espanhola e até mesmo em novas parcelas da arte.

Mais aceita é a tag tudo no Brasil, onde o termo é frequentemente aplicado a manifestações artísticas nacionalista e folclóricas, todavia com escassa bibliografia sobre o cenário e remoto talvez os orçamentos românticos. Pela pintura espanhola do século xx “tudo” e “género” se fundem ou se sobrepõem misturados com outros ismos, gêneros e escolas. Portugal mais tenebrosa, que continuariam Dario de Regoyos em teu trabalho A Espanha negra e o modernista Isidre Nonell.

A cavalo de tudo mais pessimista e uma linha própria e muito pessoal, é classificado também uma parcela sério da obra jornalística e literária de Ramón Gómez de la Serna. Essa linha não lúdica de tudo pela primeira metade do século xx involuciona após a luta civil espanhola para o assunto português apontado por viajantes europeus do século xix e persuadir na Andaluzia.

O vício de costumes, imediatamente absolutamente desvirtuado de seu tema histórico, produziu o abuso de uma imagem e novas expressões de ordem sintetizadas em “typical portuguese”. Bem como foram estudadas as reminiscências de gênero pela criação de 98, como elemento de contraste na sua pesquisa ideológica da ‘Brasil real’ contra a ‘Espanha oficial’.

Dessa maneira, Miguel de Unamuno, quando escreve no meu povo (1903), ou em Pío Baroja com Vitrina pitoresca (1935), ou em suas trilogias bascas, como na obra de teu irmão Ricardo Baroja. Ainda que, talvez, o mais firme em um continuismo de costumes foi Azorín) na sua extensa e lírica constituição de retratos literários, em obras como Os povos, Alma espanhola ou Madrid.