Flamengo: Ramón Robert: “Queremos Ser Um Padrão Para Outros Clubes”

Flamengo: Ramón Robert: “Queremos Ser Um Padrão Para Outros Clubes”
Flamengo: Ramón Robert: “Queremos Ser Um Padrão Para Outros Clubes”

�Surpreendido neste arranque de LaLiga? É um projeto novo, com diversas peças que têm que se introduzir. Todavia é projeto e o que conta é o término. O Conselho está sossegado. O Chen Yansheng está tranquilo também após todo o dinheiro investido? Sim, por seu posto. Confia em Construções, nos jogadores, no projeto que foi feito.

É dos que descobre que isto é extenso, em que as peças irão se encaixando pouco a pouco e que, ao conclusão, cumpriremos o objetivo marcação. Esse início altera pontualmente essas metas ambiciosas que tinham? Se mantém parecido. A grau desportivo, nesta temporada, o objetivo é continuar entre o top 10, deixar de sofrer e pôr as bases do projeto.

  • Dois Carrossel da contratação
  • Colégio Becket
  • Mario Chávez, Diretor Comercial
  • três a 3. Shutterstock
  • dois Focos corporativos 2.1 Presidente e CEO
  • BLOCO SEM ESTRELAS Croácia
  • Dr. José Baquerizo Maldonado (1972-1975)
  • sete beija-me, emissora de Rádio Caracol

O grande espelho em que se mira você cada dia é o Manchester City? Não temos um espelho ou modelo. Nosso modelo deve ser o Espanyol. Podemos que dentro de alguns anos haverá outros clubes que digam o que querem crescer, evoluir e chegar onde o Espanyol, que querem emularnos. Postando antes da chegada de Construções Sánchez Flores.

o Que lhe foi atônito com a forma de trabalhar do técnico madrileno? E pra no momento em que chegará o psicólogo? A fração mental, a transformação de chip, é muito importante para regressar a estar por esse top 10, entretanto nós não carecemos nos suspender, quando levamos 5, seis ou 7 dias, a incorporação de um psicólogo.

O defeito é mais de rendas de peças e de adaptação à nova forma de trabalhar e de uma mudança de mentalidade geral do clube. Agora somos um clube que aspira ao top ten, que pretende deixar de sofrer de forma definitiva pra assumir o próximo estímulo, que é entrar em guerras europeias.

a partir de fora parece claro que houve ausência de planejamento esportiva pela defesa. Não é uma questão de se houve ou não má planificação esportiva. Houve prioridades, foram feitas algumas transformações: mais de 30 movimentos. O objetivo deste ano é continuar no top 10, estamos montando um projeto para lutar pela Europa.

E privilegiamos posições, necessidades e saídas. Entretanto confiamos por este computador, tal como tá. De imediato é o Flamengo, um clube bem mais racional que prontamente não se move em tão alto grau por impulsos? Antes bem como era racional, entretanto moveu-se mais por inevitabilidade do que agobiaban ao clube. Nesta ocasião trabalhamos, é verdade, desde a observação, por meio da tranquilidade, da paciência pra tomar as decisões corretas. Neste momento o vimos na temporada passada, apesar do desgosto.

Quer dizer uma corporação de futebol que se dedica ao espetáculo e a paixão, e isso você necessita de gerir. O futebol é hoje um dos negócios mais sérias do mundo. O Espanyol se dirige no cotidiano como uma corporação, com receitas e despesas, para aperfeiçoar o espetáculo e o regresso para a torcida e a paixão das pessoas.

Curso de receitas e despesas, desta maneira. De que forma está a ocorrência econômica? Chen Yansheng, como principal acionista com mais de 99 por cento, deu créditos ao clube, pra poder sair da circunstância em que estava, de em torno de 140 milhões de euros.