“A Mortificação Gostamos” >>Mulheres >>Blogs DO PAÍS

“A Mortificação Gostamos” >>Mulheres >>Blogs DO PAÍS
“A Mortificação Gostamos” >>Mulheres >>Blogs DO PAÍS

Neste momento surgiram as opiniões, vindas de todos os websites. Além de tudo, logicamente, de coletivos de mulheres. Tais como, a presidente da Federação de Associações de Mulheres Separadas e Divorciadas, Ana Maria Perez do Campo, diz que se trata de um “manual certeza de brutalidade”, dado que, “escraviza a mulher”. Os partidos políticos não tardaram em reagir.

INTERFACE do usuário apelou ao ministério público para que investigue se o livro faz “apologia da crueldade contra as mulheres”. O PSOE andaluz tem exigido ao Arcebispado a imediata retirada do livro por causa de o considera “discriminatório e sexista”. E até o PP assim como pediu ao arcebispo que “retifique” porque o livro é “um legítimo elefante branco”.

  • 2 Períodos medieval e renascentista
  • 2 Family Buisiness
  • cinco Direitos do trabalhador durante o aviso prévio concedido pelo empregador
  • um Biografia 1.1 primeiros anos de Vida
  • onze de agosto: pela Argentina se executam as eleições PASSO
  • 2012: “Finally Found You” (Com Sammy Adams)

E, diante de tal vendaval de considerações, como, Pois o quinze de novembro, publicou um enorme comunicado na sua página internet para defender o livro e, mais ou menos, ser mártir. Precisamente este foi o primeiro argumento de defesa do arcebispo sobre o livro, que todos acreditavam do título e do parágrafo da capa, mas que parecia que ninguém o tinha lido.

Chegados a este ponto, o qual Se trata só de um título provocador, que logo se dissolve o conteúdo? Para achar, visto que, precisará passar a entradilla, como diz o porta-voz da Conferência Episcopal. Case e seja submissa é estruturado como cartas de Costanza Miriano (quarenta e dois anos, casada e com quatro filhos) para amigas e amigos, acompanhadas de reflexões -em tom descontraído – a respeito de sua experiência como esposa e mãe. Para Miriano, o sucesso no casamento passa por a submissão da esposa ao marido. “Você deverá estudar a ser submissa, como diz São Paulo”, diz o texto. E explica: “Quando São Paulo diz às mulheres que aceitem estar abaixo, não pensa, nem ao menos muito menos que sejam inferiores”.

“A submissão de que fala São Paulo é um presente, livre como todo presente, visto que, se não, seria uma imposição”. Diga-lhe que tem justificativa, que é verdade, que você vai assimilar. Ao enxergar a sua doçura e a sua humildade, o seu esforço por tornar-se, assim como ele se tornará”.

Parece claro o papel que tem que assumir cada qual no casamento. “Quando se trata da vida em casal (…), 3 passos para trás. E há que fazê-lo mesmo que você não entenda o porquê, ainda que está intimamente convencida de ter explicação”, diz, em outro parágrafo. Deus escolheu pra te amar, e é o teu caminho pro céu.

Quando você diz algo, em vista disso, o que ouvir, como se fosse Deus, o que se fala (…) por causa de com freqüência vê com mais compreensão do que tu”. “Sem Luigi, Margherita não é plenamente ela mesma! Se isto não é revogar a mulher, que venha Deus (ou São Paulo, ou arcebispo) e olhe. Porque Miriano contente com isto: “o

Tenho que conceder causa, ainda que não a tem? Eu diria que sim”. “Se somente recebê-lo, aquilo que é conforme o que a si, aquilo que você pensa, você não está casada com um homem, todavia consigo mesma. Ao invés fazer isso, você tem que submeter-se a ele”.

Mas, calma, que não se passa nada: “eu Te conceder temor, pelo motivo de sair das suas próprias convicções é qualquer coisa horrível. Mas não se está atirando no vazio, você está atirando seus braços”. A submissão que cortar o masoquismo: “A mortificação gostam de nós em razão de é para atingir um bem superior, e este bem é apoiar o seu marido, por conseguinte, engendrarte a si mesma”, pode ler-se no livro. “É um interesse de elasticidade sequente, e muitas vezes será capaz de parecer que tu lhe tens dado muito, no momento em que na verdade você permanecido em teu egoísmo”. Tinha justificativa o arcebispo, pra criticar o livro precisa lê-lo. E, uma vez fora da entradilla, poderá-se verificar que o título, talvez, ele fica curto.

O autor dá dados de sobra para saber que os protagonistas se descobrem no centro, e assim como, em que dia se desenvolve o capítulo. Os 2 primeiros episódios seriam no mesmo dia. Após isto aconteceria mês e meio, e de imediato a trama acontecerá em uma semana. O livro seria uma mistura entre o clássico romance policial, com um estilo marcado de novela negra (dado que trata de um suicídio que não o é) e o humor satírico que resulta dos diálogos.